Como uma empresa global de saúde, estamos comprometidos em promover a boa saúde e o bem-estar através da parceria com a comunidade acadêmica e científica para impulsionar a inovação. Entretanto, os avanços inovadores da ciência médica só são significativos quando chegam às pessoas que precisam deles.

Na América Latina, trabalhamos com uma variedade de parceiros em todas as questões e regiões para ajudar a aumentar a conscientização sobre doenças, melhorar a triagem e o diagnóstico, fortalecer a infraestrutura e fornecer soluções de financiamento. Nossa abordagem multissetorial visa elevar a voz do paciente para garantir que nossos stakeholders mais importantes sejam ouvidos. Por meio de nossos programas, nossas afiliadas pretendem atender às necessidades específicas de saúde de cada país em torno dos quatro principais pilares do Grupo: Conscientização, Diagnóstico, Infraestrutura de atendimento e Financiamento.

A Roche está desempenhando um papel de liderança em uma iniciativa que reúne mais de 20 empresas líderes do setor biofarmacêutico, juntamente com o Banco Mundial e a União para o Controle Internacional do Câncer (UICC). A Access Accelerated Initiative foi lançada em 2017 e tem como foco melhorar o acesso a tratamentos para doenças não transmissíveis (DNTs), como cânceres, doenças cardiovasculares, doenças respiratórias crônicas e diabetes. Ao fazê-lo, retoma o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU para reduzir os óbitos por DNTs em um terço até 2030. 

 

Conscientização

Acreditamos que a educação em saúde é tão importante para o bem-estar do paciente quanto um diagnóstico e tratamento adequados. Estamos convencidos de que a divulgação de informações responsáveis e de alta qualidade é fundamental para aumentar a conscientização na sociedade sobre doenças e medidas preventivas. Em toda a região, participamos de inúmeras iniciativas para aumentar a conscientização da saúde pública para avançar na prevenção, detecção precoce e monitoramento de doenças. Ao longo de 2016 e 2017, lideramos mais de 100 iniciativas de conscientização sobre doenças.

Os jornalistas desempenham um papel fundamental na disseminação do conhecimento público em torno da saúde, tornando imperativo mantê-los atualizados sobre questões relacionadas à saúde e avanços médicos. Como tal, desde 2012, realizamos o “Roche Press Day”, um fórum educacional para promover a troca de conhecimento e a educação continuada em torno de muitas das doenças mais graves da atualidade. Todos os anos, reunimos jornalistas de toda a América Latina e palestrantes especialistas de todo o mundo para discutir os mais recentes avanços científicos além de questões e tendências relacionadas à saúde na região, incluindo biotecnologia, inovação e medicina personalizada. Aproveitamos também para anunciar os vencedores do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde, que em 2017 comemorou sua 5ª edição. O prêmio, organizado pela Fundação para o Novo Jornalismo Ibero-Americano (FNPI) e patrocinado pela Roche América Latina, homenageia e promove o jornalismo de saúde de alta qualidade. Além do reconhecimento, a iniciativa inclui uma série de oficinas educacionais realizadas em toda a região, impactando mais de 170 jornalistas em 2016 e 2017.    

Também pretendemos aprofundar a compreensão dos jornalistas sobre a tomada de decisões na área de saúde, em um esforço para promover discussões proveitosas sobre a necessidade de abordagens de avaliação holística na área da saúde. Em 2017, fizemos uma parceria com a Federação Latino-Americana da Indústria Farmacêutica (FIFARMA) e o Escritório de Economia da Saúde para sediar nossa Oficina Educacional da MCDA. O workshop educou jornalistas sobre o modelo de análise de decisão de múltiplos critérios (MCDA), uma abordagem que leva em consideração as preferências de pacientes, médicos, pagadores, fabricantes e outros stakeholders. O processo foi aplicado com sucesso na tomada de decisões na área de saúde em todo o mundo e está começando a ganhar força em todos os mercados da América Latina, incluindo Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador e República Dominicana.

 

Uma das nossas áreas de foco é apoiar os pacientes, ajudando a fortalecer as capacidades das organizações de pacientes. Em 2016, realizamos o primeiro Latin American Patient Organizations Workshop (LAPOW), que reuniu grupos de pacientes de toda a região para compartilhar experiências e desenvolver capacidades. A iniciativa, que celebrou sua segunda edição em 2017, está alinhada ao International Experience Exchange for Patient Organizations (IEEPO) da Roche, que reúne grupos de pacientes de todo o mundo há mais de oito anos.

Por fim, apoiamos pesquisas independentes de terceiros para ajudar os formuladores de políticas e outros stakeholders a obter um melhor entendimento das disparidades de saúde em toda a região e promover ações para abordá-las. Em 2017, contratamos a The Economist Intelligence Unit (EIU) para redigir o relatório "“Controle, Acesso e Desigualdade do Câncer na América Latina” que examina detalhadamente os pontos fortes e fracos das políticas e programas de câncer existentes na América Latina para identificar oportunidades para um futuro desenvolvimento de políticas. O estudo confirma que os atrasos do sistema e as lacunas socioeconômicas estão ligados ao acesso tardio ao diagnóstico e ao tratamento, traduzindo-se em pacientes diagnosticados em estágios avançados da doença o que, por sua vez, resulta em maiores taxas de mortalidade. Esperamos que o estudo desencadeie uma conversa sobre novas formas de atender às necessidades específicas de atendimento oncológico de populações em toda a América Latina. 

 


 

Diagnóstico

O diagnóstico precoce e preciso é fundamental para garantir que os pacientes recebam o tratamento correto e pode aumentar significativamente a chance de sobrevida do paciente. No entanto, o diagnóstico pode ser complexo e, muitas vezes, requer técnicos de laboratório especializados ou instalações que podem não estar acessíveis para muitas pessoas. Fazemos parcerias com organizações locais para equipar e treinar funcionários com instrumentos de teste diagnóstico para melhorar o diagnóstico em todo o mundo, bem como conduzir programas de triagem.

Nossas afiliadas na América Latina se engajam em inúmeras iniciativas para ajudar pacientes a ter acesso a um diagnóstico adequado e em tempo hábil. Como uma empresa global de saúde, compartilhamos uma responsabilidade conjunta com governos, organizações internacionais e o restante da indústria farmacêutica para enfrentar o desafio de melhorar os serviços de saúde em toda a região. Portanto, trabalhamos com diferentes parceiros para melhorar a triagem e o exame diagnóstico para ajudar os pacientes a agilizar o diagnóstico e o tratamento. 

 

Infraestrutura de atendimento

Reconhecemos que a falta de instalações e profissionais de saúde treinados cria, em muitos países em desenvolvimento, uma barreira grave para os pacientes terem acesso a medicamentos e diagnósticos apropriados. Estabelecemos programas afim de educar e treinar profissionais de saúde e apoiar instalações clínicas e laboratoriais com o objetivo de aumentar as capacidades locais, criando melhorias duradouras na área da saúde.

Estamos comprometidos com o avanço do conhecimento e da educação em áreas terapêuticas em toda a América Latina. Nossas afiliadas realizam programas educacionais em parceria com a comunidade médica e científica, agências governamentais e centros de pesquisa, visando a formação de médicos e jovens profissionais.

Uma maneira de fazer isso em toda a região é através do Diálogo Roche, uma plataforma de conhecimento independente de educação médica continuada que mantém os profissionais de saúde atualizados sobre os mais recentes avanços da medicina. A plataforma transmite aulas médicas ao vivo e oferece vídeos tutoriais, podcasts e artigos sobre diversos temas de saúde, incluindo estudos clínicos, avanços científicos e congressos, para promover a prevenção de doenças, detecção precoce e tratamento. Hoje, o Diálogo Roche alcança mais de 50.000 médicos registrados em toda a América Latina e está disponível na Argentina, Brasil, CAC, Chile, Colômbia, México, Peru, Uruguai e Venezuela

 

Financiamento

Em um mercado global complexo, entendemos que a capacidade dos sistemas de saúde e dos indivíduos de pagar por nossos medicamentos varia muito em diferentes regiões. Portanto, trabalhamos juntamente com governos, seguradoras e provedores de serviços de saúde para explorar novos modelos de preços que atendam às necessidades individuais.

Cada país da América Latina enfrenta desafios econômicos e políticos únicos que afetam o acesso à saude dos pacientes. Para resolver esses problemas, criamos programas flexíveis e personalizados em parceria com entidades públicas e privadas que se adaptam a cada mercado para ajudar os pacientes a obter o tratamento que precisam. Nossos programas consideram as barreiras específicas de acesso de cada país, que podem incluir uma combinação de fatores socioeconômicos, epidemiologia de doenças, compromisso político, financiamento de assistência médica, cobertura de seguro de saúde e a qualidade da infraestrutura de saúde.

Nosso sistema de preços personalizado leva vários fatores em consideração, incluindo: a eficácia do nosso medicamento ou exame diagnóstico; outros medicamentos ou diagnósticos usados para tratar ou testar a mesma doença; investimento futuro necessário para descobrir novos medicamentos e diagnósticos; como garantir que nossos produtos cheguem às pessoas que precisam deles e a acessibilidade do nosso produto aos sistemas de saúde e indivíduos.

Nossa abordagem ajudou os pacientes a superar as barreiras de financiamento para o acesso a medicamentos potencialmente vitais que, de outra forma, estariam fora de alcance.